Matheus Daniel, presidente da ABRASEL-MG, acredita que retorno, principalmente para o setor que, durante pandemia, é um dos mais afetados, poderia favorecer cadeia produtiva do país e ajudar na retomada econômica; donos e funcionários de bares em BH também defendem ideia

Os setores de hotéis, bares e restaurantes enviaram no início desse mês uma carta ao presidente Jair Bolsonaro (sem partido) e para o ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque, pedindo a volta do horário de verão, extinto em abril de 2019 por decreto do chefe de estado.

De acordo com o presidente da Associação Brasileira de Bares e Restaurantes em Minas Gerais (ABRASEL-MG), Matheus Daniel, o retorno, principalmente para o setor que, durante a pandemia, é um dos mais afetados, poderia favorecer a cadeia produtiva do país e ajudar na retomada econômica. “O horário de verão beneficia as atividades ligadas ao nosso segmento. Com o sol demorando para mais para se pôr e a chegada do calor, no mês de outubro, os consumidores ficam mais estimulados a frequentar os bares, o que é fundamental para nós. Perdemos cerca de 70% do faturamento durante os períodos de restrições mais severas do isolamento social, portanto todas as estratégias adotadas para socorrer e fomentar a economia são sempre bem vindas”, pontua.

Donos e funcionários de bares aprovam retorno

 Donos e funcionários de bares e restaurantes em Belo Horizonte também aprovam a ideia de uma possível volta do horário de verão. O bartender Conrado Salazar, à frente do Piratas BBQ, bar no tradicional reduto boêmio da Alberto Cintra, bairro União, afirma que o movimento de clientes nos meses em que o relógio é adiantado por uma hora, é bastante expressivo. “As pessoas saem do trabalho com o sol ainda forte e vão para um happy hour. Isso nos dá, inclusive, a possibilidade de aumentarmos nossas ações promocionais por conta da crescente demanda”.

Proprietário da Panorama Pizzaria, no bairro Floresta, região leste da capital, o empresário Lucas Brandão acredita que além de ser interessante para aumentar as vendas do setor, o horário de verão também proporciona uma indiscutível economia de energia elétrica. “O Brasil enfrenta atualmente a pior estiagem dos últimos 91 anos, o que levou a Agência Nacional de Energia Elétrica a aumentar em 52% o valor da bandeira vermelha patamar 2 das contas de luz, já para este mês. Mesmo que a economia proporcionada pelo finado horário de verão tenha sido argumentada no passado como pequena, qualquer contenção nos dias de hoje é muito importante”.

Agenda Comunicação Integrada

Jornalistas responsáveis:

Maíra Rolim – JP 8850- MG

Daniel de Andrade – RP 0020661-MG

(31) 3021-0204 | 9 8500-1358 | 9 9120-1068

www.agendacomunicacao.com