Para evitar que outros acidentes dessa natureza aconteçam nos estabelecimentos, como o recente incêndio no Bar do Bigode, entidade baterá papo com tenente Mayra Araújo, do Corpo de Bombeiros Militar; Transmissão será pública no Instagram @abraselminasgerais

O incêndio que destruiu o tradicional Bar do Bigode, no Prado, região Oeste de Belo Horizonte, no último dia 2, ganhou ampla repercussão na imprensa. Felizmente o desastre teve um final feliz, já que graças a uma vaquinha virtual, criada por frequentadores do boteco e pessoas que se sensibilizaram com a fatalidade, o proprietário da casa, Omar Ferreira Cunha, conseguiu arrecadar mais de R$ 50 mil para reconstruir a estrutura, o maquinário e pagar os funcionários. 

Para evitar que outros acidentes dessa natureza aconteçam nos estabelecimentos de alimentação fora do lar, principalmente neste momento em que as empresas tentam se recuperar dos prejuízos causados pelo longo período de portas fechadas, devido à pandemia, a Associação Brasileira de Bares e Restaurantes em Minas Gerais (ABRASEL-MG) promoverá uma live com a tenente do Corpo de Bombeiros Militar de Minas Gerais, Mayra Araújo. No bate-papo, marcado para esta terça-feira (13), às 15h, no perfil do Instagram @abraselminasgerais, a socorrista vai dar dicas de prevenção contra incêndios nesses locais.

Segundo Mayra, o método fundamental para minimizar os efeitos de um incêndio, caso ele ocorra, é contar com o extintor devidamente carregado e dentro da validade. “Abafar o fogo com um cobertor ou jogar água é a primeira atitude de quem está desesperado em extinguir as chamas, mas nenhuma dessas alternativas é tão eficiente como o extintor. Esse objeto é essencial em qualquer casa ou edificação comercial. Embora exista uma grande possibilidade dele ficar na parede durante anos acumulando poeira, também pode acabar salvando a vida de alguém”, ressalta.

A tenente ressalta, porém, que para cada tipo de incêndio, será necessário um tipo específico do equipamento. Materiais como madeira, papel, tecido, que se caracterizam por deixar, após a queima, resíduos como carvão e cinza, devem ser combatidos com extintores de H2O ou de Espuma. Chamas em equipamentos elétricos energizados, como motores, geradores, cabos, por sua vez, podem ser mitigadas, com extintores de pó químico e Dióxido de carbono.

Além de contar com um extintor no estabelecimento, Mayra destaca ser importante que o proprietário do bar ou restaurante também fique sempre atento à presença de fios danificados no sistema elétrico do imóvel. “Fios próximo à fogões ou outras fontes de calor devem se, possível, ser evitados”.

A socorrista ainda recomenda que o local tenha uma rota de saída livre para ser utilizada em caso de incêndios. “Uma saída de emergência, com acesso direto para a rua, é crucial em momentos nos quais é preciso salvar vidas”.

Por fim, Araújo pede que os estabelecimentos, sejam eles de qualquer natureza, jamais funcionem sem um alvará. “Algumas prefeituras, inclusive, só liberam este documento se o estabelecimento apresentar o AVCB (Auto de Vistoria do Corpo de Bombeiros)”. O documento é emitido como forma de garantir que o edifício segue as normas de segurança contra incêndio.

Serviço:

Live: ABRASEL-MG e Corpo de Bombeiros Militar de Minas Gerais | Dicas de prevenção contra incêndios em bares e restaurantes

Onde: No Instagram @abraselminasgerais

Quando: hoje, às 15h


Agenda Comunicação Integrada

Jornalistas responsáveis:

Maíra Rolim – JP 8850- MG

Daniel de Andrade – RP 0020661-MG

(31) 3021-0204 | 9 8500-1358 | 9 9120-1068

www.agendacomunicacao.com