Sala de
Imprensa

Fechar
07.03.2019
Pelo prazer de comer bem: conheça iguarias que conquistam o paladar dos gourmands

Loja no Vila da Serra oferece mais de 200 produtos raros para aqueles que não abrem mão da experiência gastronômica genuína; Casting reúne desde temperos raros a caviar

“Você sabe o que é caviar? Nunca vi, nem comi, eu só ouço falar”. Embora muitos brasileiros se identifiquem com a clássica letra do sambista Zeca Pagodinho, há quem, caminhando na contramão, seja fã nº 1 da “gastronomia da experiência”, os chamados gourmands. Eles escolhem e consomem ingredientes pelo sabor que a iguaria pode proporcionar. Também gostam de saber a origem dos alimentos, o valor nutricional, onde o produto foi feito, [se ele for raro, a paixão dos apreciadores aumenta ainda mais], além das peculiaridades na hora do preparo.

A existência desse tipo de público faz surgir um nicho específico de mercado, voltado para a venda de produtos exóticos e diferenciados. Na loja Fazenda Alegria, delicatesse localizada no Vila da Serra, em Nova Lima, o casting é gigantesco. Reúne mais de 200 itens raros e oriundos de diversos países como Áustria, Índia, França, Itália, Espanha, México, Portugal e Turquia. Todos cuidadosamente selecionados pelos proprietários, Evando, Laila Neiva e família, além de Massimo Battaglini, chef italiano que vive há 20 anos no Brasil, convidado para ser curador do projeto e José Francisco Gonçalves, diretor de novos negócios da empresa.

Aos amantes de temperos, por exemplo, o estabelecimento oferece a pimenta szehuan, especiaria da culinária asiática considerada um dos cinco temperos mais conhecidos do mundo. “Ela não é exatamente como a pimenta branca ou preta, mas tem um componente bioativo que provoca leve dormência na língua, uma sensação de formigamento entorpecente”, afirma Massimo. A espécie é usada no preparo de carnes vermelhas, aves, peixes, massas e até mesmo sorvetes, chocolates e doces em geral. Além disso, é muito explorada também pela indústria de perfumaria ao redor do mundo. “Seu aroma é simplesmente indescritível”, completa Battaglini. A embalagem com 20g pode ser levada para casa por R$ 30.

Ainda na seção de temperos, outro item exótico da loja, capaz de despertar o interesse dos gourmands mais aficionados por produtos que não se encontram em qualquer prateleira de supermercado, é o molho de tucupi preto (R$ 21,80 a embalagem de 150ml). De acordo com o chef italiano, esta iguaria é a alternativa ideal para quem quer substituir o shoyu e o molho inglês e, ao mesmo tempo, ter uma opção mais natural, sem nenhum tipo de aditivo artificial. “Ele tem cinco vezes menos sódio que os temperos habituais. De sabor marcante e suave, pode ser usado na elaboração de carnes bovinas, suínas e frango, além de entrar na finalização ou tempero de peixes e frutos do mar”, explica.

Para quem quer usar alho nos pratos, mas sem deixá-los com o cheiro impregnante da versão convencional, a dica de Massimo Battaglini é o alho negro, cuja embalagem de 80g é encontrada na loja in natura por R$ 35,53. Para ficar com a coloração escura, ele passa por um processo de fermentação e depois é submetido a uma condição de temperatura contínua de aproximadamente 65ºC e umidade controlada. Desse modo vai escurecendo, sem nenhum aditivo químico. “O resultado é um sabor, odor e textura diferenciados, além da aparência bem diferente, parecendo até outra espécie. Ele fica adocicado e perde aquela característica ardida que algumas pessoas não gostam”, explica. Como um tempero, entra sempre no final das receitas, polvilhado cru sobre o prato. Fica ótimo também em risotos, omeletes, pizzas, saladas ou em legumes refogados.

Já os apreciadores de queijo podem encontrar no estabelecimento, entre os quase 15 tipos oferecidos na lista de produtos, o mundialmente conhecido queijo brie, o mais antigo da França, considerado, inclusive, o alimento preferido de reis e rainhas, a começar pelo imperador Carlos Magno I no século VIII. Aliás, o nome deste queijo é uma homenagem ao seu próprio local de origem, a província de Brie, na França. Segundo Massimo, quando ele possui até 30 dias de maturação, sua massa em torno da casca fica mais mole e seu interior mais denso. “Desse modo as enzimas do queijo vão deixando-o mais cremoso e com sabor mais apurado”, conta.

Além de poder ser harmonizado com champagne [um hábito, inclusive, recorrente na França], o brie, que já é saboroso sozinho, cai muito bem com maçãs, peras, geleias, compotas e até mel. “Aqui na loja, inclusive, temos uma variedade de mel de abelhas nativas sem ferrão, produzidos no Paraná, que garantem mais elementos nutritivos e antibióticos”, acrescenta. Quem quiser levar essa preciosidade para casa deve desembolsar a bagatela de R$ 99 pelo pote de 340g.

O açougue da Loja Alegria também agrada qualquer comensal ávido por uma mesa mais sofisticada. Nele é possível encontrar delícias do Wagyu, raça de gado japonês cuja carne é considerada a mais nobre e saborosa do mundo. “É o gado de corte com maior predisposição genética ao marmoreio, isto é, a gordura se distribui entre as fibras musculares, formando desenhos similares ao mármore, que são indicadores da qualidade do produto e responsáveis pelo altíssimo sabor e maciez”, explica Battaglini.  A delicatesse comercializa tanto peças grandes, com mais de 1 kg, quanto porcionadas na hora ou preparadas como hambúrguer, por exemplo. No total são mais de 20 cortes, com destaque para a picanha, cujo quilo custa R$ 398.

Por fim, a iguaria famosa na música de Zeca Pagodinho, não poderia faltar. Quem quiser ver, comer e não apenas ‘ouvir falar’ do caviar, pode adquirir na Loja Alegria, o beluga siberian, considerado um dos tipos de caviar mais nobres do mundo.

O Beluga – assim como o Cevruga – é um tipo de peixe que possui um sabor diferenciado e costuma ser encontrado no Mar Cáspio e no Mar Negro, ambos localizados próximo à Rússia, aos países do norte da Europa e até mesmo ao Irã.

Por serem peixes grandes e de difícil pesca, o valor desse caviar é mais caro do que os outros. Na loja Fazenda Alegria, por exemplo, 50g custam até R$ 1.345,22. Outra característica que faz com que seu preço seja mais elevado é que o animal de onde as ovas são retiradas deve ser velho, com 50 ou até 80 anos de idade. “A sensação do caviar ao ser mordido é um dos pontos que mais marca esse alimento. Com um formato esférico, ele estoura na boca, dando uma sensação diferente quando se come”.

Serviço:

 

Loja Fazenda Alegria

Alameda Oscar Niemeyer, 1033. Loja 8. Vila da Serra – Nova Lima

Horário de funcionamento: Segunda a sábado, de 10h às 19h.

Cartão de crédito: Mastercard | Visa | Elo | Amex

Aceita encomendas via telefone

Telefone: (31) 3318-0051

ASSESSORIA DE IMPRENSA:

Agenda Comunicação Integrada

Jornalista responsável: Maíra Rolim JP 8850- MG

(31) 3021-0204 | 9 8500-1358 | 9 9120-1068

www.agendacomunicacao.com